domingo, 22 de dezembro de 2013

DE SALVADOR A GOVERNADOR MANGABEIRA (TESTE DE HABILITAÇÃO) DE BIKE

Vista desde a Serra da Muritiba, da Ponte D. Pedro II, que liga as cidades de Cachoeira e São Félix na Bahia

Uma “viagem” de 17km pela Estrada da Barragem ao lado de Rubem foi o pontapé inicial deste domingo.

O barro batido alterna trechos de irregularidade com outros de extrema maciez, o verde rural enche nossos pulmões de oxigênio puríssimo enquanto voamos ladeira abaixo ladeira acima num divertido fartlek, o povo madrugador, de dentro ou à porta das suas casas, nos cumprimenta ou responde aos nossos “Bom dia”. 



É incrível como a gente não se cansa de externar o quão gostoso é correr naquelas paragens, mas a finalidade deste post não será falar deste nosso treino e sim de uma outra viagem realizada na última sexta-feira.



Era pra ser um 4:1.

Várias pessoas já passaram pelo Projeto que consiste em tirar um dia da semana para realizar um duathlon terrestre, em que a distância na bike represente sempre 4 vezes mais que a corrida, mas o cara que veio para ficar de verdade foi o Rubem.

Na sexta-feira faríamos então uma viagem de Salvador a Saubara usando o 4:1 (70 pedalando até Santo Amaro + 19 correndo até Saubara), mas alguns detalhes que ficaram por acertar e, principalmente, um pequeno acidente de moto que sofri na quarta-feira, levou-me a optar por acompanhar logo o amigo em seu teste de habilitação.

SALVADOR / GOVERNADOR MANGABEIRA

Há muitos anos que este trecho foi instituído entre meus amigos de pedal como obrigatório para “tirar carteira” de cicloturista.

É claro que se trata de uma brincadeira, mas o percurso, bastante técnico, oferece condições tão diversas em seus 120km, tendo como ponto alto - e bota alto nisso - a subida da Serra da Muritiba, que realmente é um bom avaliador para quem quer aventurar-se pelo mundo em cima de uma bike.

Dia amanhecendo
Saímos ainda de madrugada (treino para direção à noite rs) e a manhã nos encontrou já acima do Posto da PF em Simões Filho.

Nos 55km de BR 324 a tensão é grande o tempo todo e a atenção e o conhecimento de procedimentos sobre a bike são fundamentais para desenvolver-se uma direção com segurança e relativa velocidade.

Rubem subindo no Viaduto que dá acesso a Santo Amaro

Pouco depois de termos subido o viaduto em Geari, vibrei de felicidade quando Rubem exclamou: - Poxa, tudo ficou bem diferente!

É isso mesmo. Algumas ladeiras começam a ser enfrentadas, mas a tensão diminui e daí pode-se curtir muito mais a estrada e a paisagem ao redor, manter as bikes emparelhadas e, o melhor de tudo, jogar conversa fora sem perder o ritmo.


Ponte sobre a 324 em Geari

Com quase 03 horas de pedal, fizemos em Santo Amaro, na Rua do Sinimbu, a tradicional parada na Padaria São Raimundo para reabastecimento.

Diferentemente da corrida, nas pedaladas dá para fazer uma boquinha sem ficar com medo de estômago cheio. Pão com queijo, bolo, suco e água para as caramanholas, 15 minutos depois retomávamos o caminho.

Antes de deixarmos a terra de Caetano Veloso e Maria Bethânia demos uma passada na Rodoviária e constatamos a existência de um guarda-volumes, que será bastante útil quando fizermos o 4:1 adiado (Salvador / Saubara).

Banho de bica

As ladeiras na BA 510 (outro teste) seriam o novo desafio da viagem. Sem revelar o que exatamente, disse a Rubem que na Serra do Timbó teríamos uma boa surpresa.

Após uma subida constante de quase 3km chegou nossa recompensa: uma bica nos convidava para um banho. Sem maiores cerimônias aceitamos o convite e que gostosa era a sensação daquela água gélida no corpo após horas na estrada.

Longo declive para chegar a Cachoeira
Revigorados, seguimos caminho e com 4h e 4min’ de efetiva pedalada chegamos a Cachoeira. 

Dali, atravessamos para São Félix e, enfim, chegava a hora do teste final.

Pronto para atravessar a ponte e subir a serra

Rubem viera até ali com bastante facilidade. Durante todo o trajeto não ficara devendo nada a seu “examinador” e, claro, sabíamos que a subida da Serra de Muritiba seria apenas para “bater o carimbo”.

É importante ressaltar que no começo do 4:1 ele estava apenas engatinhando em cima da magrela e agora (naquela manhã) simplesmente já estava com 110km rodados e pronto para “tirar sua carteira”.

Subimos e, se o amigo perdeu o fôlego algumas vezes, a “culpa” foi do belíssimo visual que se tem daquela serra.


Rubem em rápida parada para olhar a paisagem

Tranquilos e felizes chegamos à cidade de Muritiba. Passava um pouco das 11 horas e, antes de cumprimos os poucos quilômetros restantes até Governador Mangabeira, de onde retornaríamos de ônibus para Salvador, fizemos uma merecida pausa para encararmos uma deliciosa Maniçoba, prato típico da região.



Portal de saída para a BR 101 em Muritiba

Até a próxima pessoal!








Maniçoba em Muritiba





























Alan que apareceu no último bloco de 4-3-2-1- do treino de fartlek de hoje



9 comentários:

  1. vocês estão de parabéns, por um valor da corrida, um valor importante entre muitos, e na verdade, o valor de participar de qualquer jogo, é que pode servi como uma simulação da Vida. Correr pode ser usando para servir como uma experiência de micro vida, sem as consequências extremas do fracasso. Serve como uma experiência de aprendizado ideal, na medida em que permite experimentar e aprender novas habilidades, a praticar sem sofrer os efeitos da vida real de não se alcançar o objetivo... Correr lhe permite observar-se sob condições de vida em miniatura. um abraço pra todos FELIZ NATAL A TODOS. VANUZA LINS.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns a todos. Enquanto se está correndo, não se precisa pensar em coisa alguma. Porque correr exerce um efeito tão profundo sobre a mente humana. VANUZA LINS.

    ResponderExcluir
  3. Grande Roberto,
    Você é D+! Um passeio/treino como este é uma beleza! Um forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amâncio,
      Infelizmente por causa deste passeio (após o término fui para a cidade de Valente) acabei não estando aqui no dia 21 para prestigiar o encontro dos Corredores de Salvador. Mas você estava lá e me senti representado.
      Abraços!

      Excluir
  4. Oi! Roberto,

    Fiquei devendo os três faróis, mas no futuro terei o prazer de correr ao seu lado. Já tinha visto as fotos no Face e agora eu visitei o Blog. Parabéns a você e ao Rubens pela empreitada.. Uma viagem muito bonita e desafiadora. Parabéns ao novo clicloturista que agora está "habilitado".

    Votos de um Feliz Natal com muita Luz, Paz, Saúde, Amor e Harmonia para você e sua família.

    Abraços

    Regi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Regi,
      Feliz Natal para você e toda sua família. Viajarei logo mais com Rafinha e Luan para passar o Natal em Amargosa com meus pais.
      Quer pagar sua dívida dos 03 faróis...rs? No dia 31, Rubem irá fazer 40 anos. Estamos montando um treino saindo KM 40 para o O na Estrada do Coco. Se quiser passo os detalhes logístico via email depois.
      Abraços

      Excluir
  5. Rubem, parabéns. Diga com quem andas que ti direi quem és. Não preciso dizer mais nada ao novo cicloturista.

    ResponderExcluir