terça-feira, 2 de junho de 2015

RUNNING D'AVENTURA 2015



Realizada no último sábado, a Running Daventura voltou a ser motivo de alegria para os atletas baianos.

É mesmo um privilégio poder correr/trotar/andar num evento que tem sua largada/chegada no histórico castelo Garcia D’Ávila e, como pano de fundo, a Mata Atlântica o os terrenos naturais da Reserva Sapiranga, na belíssima Praia do Forte.

Conforme prometido no ano passado, ganhei dos Organizadores a inscrição para a RD 2015 e, tenho que admitir, somente por conta deste “detalhe” é que confirmei minha participação. Explico:

A duas semanas da Maratona de Porto Alegre e com a exclusão das distâncias maiores, aliás, minha única lamentação para este ano, estive tentado a recusar o convite, o que felizmente não fiz.
 
Rubão, Rubinho, Dilma, Luan e Rafa
Com a ajuda do amigo Rubem e família pude levar para a festa os meus pequeninos que muito aproveitaram o espaço kids da Corrida, o que só aumentou a minha felicidade pela opção tomada.

A CORRIDA

Para a corrida, minha expectativa competitiva era absolutamente nenhuma. Além do cuidado para não tomar um escorregão e/ou lesionar-me (principalmente devido a proximidade da Maratona de Porto Alegre), havia chegado na área de largada em cima da hora, e o corpo ainda não recuperado de todo da Zica enfrentada na semana anterior, acusava uma senhora carência de energia que não me animou sequer a fazer o aquecimento.

Às 8:13 soou a buzina. Mesclando o croqui disponibilizado pela Organização com os 13k complementares à Maratona feito ao lado do amigo Bruno no ano passado, estava com o trajeto na cabeça, então, aproveitando a falta de compromisso com a competitividade, dividi a prova da maneira mais ideal para se fazer uma corrida – ah! Se fosse possível correr todas as provas assim -:

Aquecimento     – 1 ao 3
Ritmo de prova – 3 ao 9
Desaquecimento- 9 ao 10


Dominado pelo bem estar que me envolve naquelas mágicas trilhas, em 48’28 estava de volta ao Garcia D’Ávila, com a certeza que se não estivessem a minha espera os "molequitos" Rafa e Luan, iniciaria uma nova volta só para matar melhor a saudade daquele paraíso.

Surpresa maior ainda viria: Apesar da descontração, 6º lugar na classificação geral, campeão da minha categoria e pra coroar a bela manhã de sábado, ir ao pódio com meus filhotes e sentir, orgulhosamente, ecoando em meus ouvidos a frase pueril e também, prenhe de orgulho: É o meu pai, é o meu pai!

by Correndo em Salvador
A recíproca é verdadeira:São meus filhos, são meus filhos! Obrigado, Deus!











Valeu, pessoal

8 comentários:

  1. Bom que o passeio ajudou, estamos juntos. Você é TOP, e que venha a Maratona

    Bruno Fraga

    ResponderExcluir
  2. Grande Ultra Roberto lembro que ano passado nessa corrida deu zebra e fico feliz em saber que este ano deu tudo certo para vc, como sempre dando show moleque parabéns!!!
    Abs
    Jorge Cerqueira
    www.jmaratona.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Jorge,
      O negócio voltou ao normal por lá, a única coisa que lamentamos é a supressão das distâncias maiores.
      Abraços"

      Excluir
  3. Que Lindo amigo! Filhos nos enche de orgulho. Parabéns pelo resultado e pelo belo texto. Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. POxa.... 6º Lugar Geral sem fazer força? Que resultado massa! Com aquele percurso e ainda desaquecendo no último km? Parabéns.
    Te desejo uma excelente Maratona em Porto Alegre. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quase sem fazer força..rs.Rebeca
      Obrigado pelo incentivo.
      Abraços

      Excluir