segunda-feira, 17 de março de 2014

III ULTRAMARATONA 12 HS DE MACAÉ




Hoje é dia da 31ª Corrida Cidade de Aracaju, minha corrida do coração. Desde que comecei a correr, em 2007, este será o primeiro ano em que não percorrerei os 25km entre as cidades sergipanas de São Cristovão e Aracaju.

17 de março. Longe da festa apenas fisicamente, estarei sintonizado e correndo em espírito com todos os amigos que estarão por lá, especialmente o amigo João Paulo, que irá estrear neste ano e, se tudo der certo, tornar-se-á o novo apaixonado pelas famosas 17 ladeiras do duro percurso.

Quem não tem Aracaju, "caça" com Macaé. 

Vamos ao assunto principal deste post, que de mole também não tinha nada: as 12h de Macaé, realizadas no final de semana passado.

O Antes
Nosso time (Pataro, Rubem, eu e a Tia Lalá) chegou à cidade na tarde do sábado, apenas poucas horas antes de buscar o kit e iniciar-se a prova.

Pataro, Tia Lalá, eu e Rubem

Às 17 horas fomos ao restaurante onde deveríamos pegar o kit, mas encontramo-lo fechado. Decidimos voltar mais tarde e, por sorte, na segunda tentativa, enxergamos à frente uma movimentação de corredores próximos a um Hotel da Orla e deduzimos que o local da entrega havia mudado.

Em Imbetiba nova surpresa: o negócio seria duro literalmente. O circuito era todo no cimento.
 
dia clareando - Rubem "desfilando" no chão de cimento
Havia julgado durante o período de treino em Salvador que a prova seria realizada no asfalto, e descobrir que nosso “desfile”, que atravessaria a noite / madrugada seria sobre placas de cimento, causou-me uma grande apreensão, até porque não recomendo este piso nem para treino de meia hora, quanto mais para 12 horas seguidas, mas já que estava ali, e não fui diligente o bastante para me informar antes, restava-me apenas enfrentar.

Outra complicação no percurso eram as curvas em cima de cones e sempre do mesmo lado, outro perigo para a banda iliotibial.

Outra novidade da noite foi ficar sabendo, somente depois que a prova já estava se desenrolando há algumas horas, que o circuito tinha 900m e não os 800m que constavam do regulamento.

Estes 100 metros representavam mais de 13% de diferença e exigiam dos atletas um reajuste nos ritmos pretendidos, mas ao que parece, por conta do pouco alcance do sistema de som, houve quem chegasse até o outro dia sem saber do acréscimo de 100 metros na volta.

Troféus para os 05 primeiro do Geral Masc/Fem e para todas as faixas - aspecto superpositivo da prova de Macaé
oO pessoal da ASCOM é bastante simpático, recebi sempre respostas céleres aos meus e-mail’s, e a Ultramaratona de Macaé parece-me estar no caminho certo, mas a meu ver, com alguns ajustes, principalmente no quesito piso, ela ainda pode melhorar muito e desta forma atrair ainda mais corredores de todo o País.

O Durante
Após festejarmos os encontros e reencontros, pontualmente às 20 horas foi dada a largada da III Ultramaratona de Macaé.


Desejando muita diversão aos amigos de viagem, desde o início da prova coloquei em ação o plano que levava na cabeça.

Estávamos no dia 08 de março (Dia Internacional da Mulher) e larguei prometendo à “tia” Lalá uma Maratona antes da meia-noite.
 
A incansável "Tia" Lalá na última volta me informando que enfim estávamos seguro no 5º lugar


O intervalo pretendido para as voltas nas primeiras 4 horas de prova era entre 3’48 e 4’35 (a descoberta dos 100 metros a mais obrigou-me a novas contas).

Este ritmo inicial deixava-me entre os 10 primeiros, mas aos poucos fui chegando no pessoal da frente e, já na primeira hora, figurava entre os 05 primeiros, o que me dava direito ao pódio geral (e ao tênis Sprint que no congresso técnico pensei ter ouvido que seria entregue aos 5 primeiros colocados rs), de onde não mais sairia durante toda noite.
 
Josias Santos do Carmo, após término da prova no merecido descanso de campeão
No momento em que ia recebendo um “capote” do primeiro colocado, mantive com ele uma breve conversa para assegurar-me que se tratava mesmo do líder da prova e, pedindo licença, tratei de seguir ao seu lado. Foram dezenas de quilômetros puxando e sendo puxado pelo excelente ultramaratonista Josias, que também é baiano e, para piorar, de Castro Alves, mesma terra do meu amigo Chico (será que é sina minha sofrer ao lado desse povo da terra do poeta?!).

Nesta balada, com 3h e 40min cumpri a promessa: entreguei à tia Lalá sua Maratona.

Feliz dia da Mulher

De hora em hora a Organização anunciava a classificação e na atualização das 06 horas de prova, ouvi meio incrédulo que figurava em segundo lugar.

Foi mais ou menos nesta hora que reparei no corredor de número 07, o cara vinha voando, este negócio de competir num local tão pequeno era uma novidade pra mim, a gente se cruza o tempo todo e mesmo disfarçando não há como não prestar atenção no adversário.

Pedi à nossa staff (tia Lalá) para descobrir quem era o cara. Ela me disse que ele estava em quinto, mas somente uma volta atrás. Nem fiz cerimônia: - Do jeito que vem, irá me passar.
 
Carlos Henrique Rufino Gusmão subindo no pódio em 2º lugar - "difícil não é voar na prova, difícil é ter que subir aí no fim do jogo..rs"
Gusmão era o nome do cara e eu o tinha visto no Globo Repórter da sexta-feira, o monstrinho só se alimenta (e como come rs) de frutas, e logo não só me ultrapassou como assumiu a liderança da prova.


Às 7 horas de prova estava sofrendo bastante e por sorte seguia ao lado do amigo Pataro com quem pude dividir meus temores.

Com Pataro

Breves ou não, todos já haviam feitos suas paradas e/ou inserido caminhadas e eu, ainda com esta deficiência, nada de ter coragem de lançar mão destas possibilidades.

Denison de Araujo Duarte (3º) Vitor Oliveira Teixeira (4º)
Com 08 horas de corrida passei a 5º, na mesma volta dos 3º e 4º, e a partir daí a grande briga seria com o 6º colocado.

Matheus era o nome da fera. O cara já havia figurado entre os três primeiros e agora, naquela posição (6º), era uma senhora ameaça.
 
Matheus Antônio Rocha no pódio de Categoria - Como já disse difícil não é correr, difícil mesmo é subir estes degraus depois
Dali por diante, a prova resumiu-se para mim (e também para o terceiro e quarto colocados) em fugir de Mateus, que, do alto dos seus 58 anos, comemorava com um “Obrigado Jesus!” todas as suas passagens pelo pórtico e parecia que ia não desistir nunca.
Matheu e Jorge

O olho no olho quando nos cruzávamos era quase inevitável e, preocupado com toda aquela devoção, seguia conversando com Deus: “- Olha Senhor, o cara tá rezando em voz alta, mas eu também tô aqui fazendo minhas preces, vê se não vai favorecê-lo” (rs - Risos agora, mas lá na hora este negócio era bem sério).

Com Márcio Villar e seu maravilhoso livro: Desafiando Limites

O Jorge Cerqueira e o Márcio Villar foram as pessoas que mais me incentivaram a continuar na pegada e fazendo um esforço tremendo e, principalmente, correndo ainda mais forte, quando faltavam poucos minutos para fechar a hora, aos poucos fui colocando voltas no valente Matheus.

O dia amanheceu e numa determinada hora, sentindo que Rubem não atravessava um bom momento, dizendo-lhe que precisava de ajuda para manter minha colocação, arrastei-o comigo e, mais animado, tive a companhia do amigo por várias voltas.

parceria com Rubem
Sem paradas nem pretensão de disputar os lugares à frente (estava mesmo satisfeito com o quinto lugar), quando faltavam 15 minutos para encerrar a prova, agradecendo a Deus e à “tia” Lalá, fiz minha única volta andando.

O Depois
Fui tomado por um enjôo horrível enquanto esperava a premiação.

O bicho tava pegando, rs
Dentre nós, Pataro era quem se apresentava em melhor estado e por isso acabou sendo escalado para a maioria das tarefas pós-provas.

Num chuveiro à beira da praia, reencontrei-me com Matheus, com quem troquei um forte abraço, ambos sabíamos que a disputa havia sido excelente.

Pódio Geral Masculino - 1º- Josias - 2º- Gusmão - 3º - Den ison  4º - Vitor 5º - eu
 Com 112,5km fui chamado ao pódio geral masculino (link para resultado), mas só lá é que fiquei sabendo que havia me enganado quanto à premiação do tênis Sprint. Tudo bem, o engano servira de elemento motivador durante a prova (rs).

Rubem, vice-campeão da Cat. 40/44
Com 101,7km, Rubem Fernandes colheu o fruto dos treinamentos e, em sua estreia em Ultramaratonas, tornou-se vice-campeão da Categoria 40/44.

Com 90km e também uma excelente prova, considerando toda carga de trabalho, que o tem impedido de treinar adequadamente, Pataro também cavou um segundo lugar em sua Categoria (50/54).

Pataro, Pódio 50/54

Agora era hora de voltar ao Hotel. O velho e bom travamento já tomava conta dos músculos da galera toda. À tarde precisaríamos enfrentar 200km até o Aeroporto do Galeão, onde deixaria os amigos, que retornariam a Salvador naquele dia, enquanto eu e a tia Lalá desfrutaríamos com a família alguns dias mais na Cidade Maravilhosa.

Dia amanhecendo na Orla de Imbetiba

Não era marra não, era cansaço mesmo..rs




Pódio 60/64 feminino

rango durante a prova






Levando a "Tia" Lalá ao Pódio

Valeu, Rubem

Com Verônica, Adelino e Tia Dete

Tia Rita

Com Tia Rita e Douglas

Da Guia e Jorge (cat 45/49)


Pataro

Regenerando na bike em Copa

na Lagoa Rodrigo de Freitas







Tia Dete, "Tia" Lalá e a prima Verônica

Com Verônica

Tia Lalá saindo do Copacabana Palace para uma corridinha







na Enseada de Botafogo



Com Luan




Com Luan e Rafa


20 comentários:

  1. Sem palavras, campeão! Só me ocorre uma: PARABÉNS!!! Você nos emociona com suas "aventuras"! Simplesmente fantásticas! Maravilha mesmo! Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ê, Amâncio.
      Um ano de nossa parceria em Aracaju. Acho que tá na hora de vc fazer logo sua inscrição na Maratona de Porto Alegre pra gente comemorar seus 70 anos juntos.
      Obrigado pelas palavras!
      Abraços!

      Excluir
  2. Parabéns Robertão!
    Como sempre fazendo bonito, independente dos desafios.
    Tenho certeza que suas palavras me ajudaram na corrida, não é a toa que vc é meu amuleto. Mais tarde lhe mandarei noticias, e com fé em Deus serão boas.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. JP.
    Curta esse prova e esse povo maravilhoso. Não tenho dúvida que fará um ótima prova e voltará daí já pensando no próximo ano.
    Abraços!
    Roberto

    ResponderExcluir
  4. Amigo, parabens mais uma vez, voce é o cara, e inspira muita gente. Obrigado pelo sábado, pela extensao do meu treino. Mas como relatei abriram boas bolhas nos pés kkkkkkkkkkkkk
    Abraco

    Bruno Fraga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Bruno.
      Cuida logo dessas bolhas. Não se esqueça que temos compromisso nas Dunas no sábado e que o dia foi escolhido a partir das suas possibilidades...rs
      Abraços!

      Excluir
  5. Parabéns pelo desempenho e pela grande vitória! Obrigada pela companhia no treino de sábado! rs rs

    ResponderExcluir
  6. Fomos muito bem representados visto o desempenho de todos. Parabéns a todos pelos resultados que foram o reflexo dos treinamentos. Grande abraço a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samuca,
      Estamos com saudades. Que tal aparecer no sábado?
      Abraços!

      Excluir
  7. Parabéns! Mega. Foi o único ultramaratonista a não intercalar uma caminhada na prova. Suas palavras minutos antes da largada foi muito importante para mim superar na prova: Vamos nos divertir!
    Obrigado! Você, Larissa e Rubem.
    Um grande abraço e até as próxima diversões!
    Pataro

    ResponderExcluir
  8. Pataro,
    Você correu com a alegria de sempre e isso é mais importante do que pódios. Até Sábado!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Caramba, como não tenho um cara retado desse na minha lista.
    Meus parabéns, fera. Vc é orgulho para gente corredor.
    Alegria!

    www.runnerhostil.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Roberto meu amigo parabéns pelo relato e pode deixar que nos veremos outra vez, quem sabe para realizar uma corridinha em Castro Alves ou pedalar kkkkk Josias santos

    ResponderExcluir
  11. Valeu, Josias.
    Temos uns treinos sensacionais lá em sua terra.
    Abraços e mais uma vez Parabéns pela vitória!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, para você também.

      Excluir
  12. parabéns a todos que participaram da prova, a um valor da corrida, importante entre muitos na verdade o valor de participar de qualquer jogo é que pode servir como simulação de vida, um abraço a todos.Vanuza Lins.

    ResponderExcluir
  13. Roberto,
    você é inspiração para muita gente, principalmente para mim que estou começando no mundo da corrida, e conseguiu um aliado "retado", rsrs, nosso amigo Rubem, que encara todas ao seu lado e que também me serve de inspiração. Parabéns a ambos e espero encontrá-los o mais breve possível para uma corridinha, de leve é claro. Um abraço.

    Mário.

    ResponderExcluir
  14. Valeu, Mário.
    É sempre um prazer ter vcs com a gente. Em breve estaremos fazendo mais treinos juntos.
    Abraços!

    ResponderExcluir